A música do filme. / Da origem aos novos olhares sobre a música de cinema.

Descontos especiais para grupos e empresas.
O curso pode ser in-company e adequado
às necessidades da empresa.

Conceito

A música de cinema carrega em si um mistério e um poder difíceis de se descrever. Como pensar no famoso discurso de Scarlett O´Hara, em E o Vento Levou, sem a clássica melodia do tema musical? Ou o suspense de Tubarão, sem as marcantes duas notas? Ou ainda a lendária cena do assassinato no chuveiro em Psicose. Ela teria o mesmo efeito sem os golpes dissonantes dos violinos? Cidade de Deus teria o mesmo ritmo alucinante sem a música? Beleza Americana teria o mesmo clima? Cinema Paradiso teria a mesma emoção? Pantera Cor-de-Rosa teria a mesma graça?

Apresentar ao participante um amplo panorama do universo da música de cinema, sob vários aspectos:

  • As origens e a evolução da trilha sonora no cinema,
  • a importância da música na narrativa cinematográfica,
  • os compositores,
  • os novos olhares e tendências da composição da música do cinema contemporâneo.

A todos interessados em desenvolver ferramentas para a apreciação do cinema. Não há necessidade de conhecimento específico sobre o assunto.

PARTE 1 – Conceitos

  • Trilha Sonora.
  • Os elementos sonoros que compõem o áudio de um filme.
  • Sound Design, Edição e Mixagem de Som.
  • Manipulação dos sons e criação de efeitos sonoros.
  • As ferramentas tecnológicas da pós-produção de áudio.

 

PARTE 2 – Casamento Música e Cinema

  • Origens da relação entre composição musical e narrativa.
  • Das comédias da Renascença e óperas até o poema sinfônico.
  • As heranças clássica e romântica, e a música do teatro popular.
  • Música programática x absoluta (Wagner x Brahms).
  • Primórdios da sétima arte: A música do cinema mudo.
  • As primeiras projeções do cinema e seus acompanhamentos musicais.

 

PARTE 3 – Cinema Sonoro

  • As ondas do estabelecimento do som no cinema.
  • O processo Vitaphone e O Cantor de Jazz.
  • O Movietone e o surgimento do som direto.
  • Os pais da música “clássica” de cinema: Steiner, Tiomkin, Korngold.
  • A música da era dourada do cinema americano.
  • Eisenstein, a música narrativa e a importância dos compositores.
  • As técnicas do leitmotif de Wagner e o mickey mousing de Steiner.

 

PARTE 4 – Cinema moderno e expansão das fronteiras criativas.

  • Miklos Rozsa e o Theremin em Quando Fala o Coração.
  • Bernard Herrmann e Cidadão Kane.
  • As escolas do pós-guerra e sua relação com a música original.
  • A influência da música moderna, do rock, do jazz e dos estilos regionais.
  • As quebras de paradigmas dos movimentos do cinema moderno.
  • Radamés Gnatalli e os compositores brasileiros da Vera Cruz e Atlântida.

 

PARTE 5 – Evoluções estilísticas dos anos 60, 70, 80 e o cinema brasileiro

  • Conexões entre os músicos e música do cinema no Brasil.
  • A influência dos novos recursos técnicos e da música popular.
  • Geração da música eletrônica, expansão dos limites criativos.
  • Usos subversivos da música na linguagem audio-visual.
  • Rompimentos das fronteiras diegese x extra-diegese.
  • Consolidação de novas estéticas musicais x revivals de antigas fórmulas.

 

PARTE 6 – Cinema contemporâneo e os novos olhares

  • O mundo digital no universo da criação e produção musical.
  • A música eletrônica encontra a música orquestral sinfônica.
  • Tendências, escolas contemporâneas, releituras e novas sonoridades.
  • O “mercado” de produção cinematográfica e os compositores.
  • A música de cinema: a música clássica nos dias de hoje.
  • Aspectos da neurociência cognitiva que estuda a música.

Tony Berchmans , pianista, compositor e produtor musical. Engenheiro pós-graduado em Comunicação pela ESPM-SP, desde 1992 trabalha no mercado de produção fonográfica, coordenando, compondo e produzindo som para rádio, TV, cinema e internet. É autor do livro “A Música do Filme – Tudo o que você gostaria de saber sobre a música de cinema”.

Desde 2001 atua na Sound Design, produtora especializada na criação e produção de fonogramas publicitários.

Em maio de 2007 foi curador do “Música em Cena – 1º Encontro Internacional de Música de Cinema”, realizado no Rio de Janeiro

Participa de festivais e concertos sobre o tema nos EUA, Espanha, Noruega, Bélgica e Brasil.  Criou o “Cena Sonora” programa da rádio FAAP que explora as trilhas de cinema. Profere palestras e ministra cursos sobre produção de som em instituições como MIS/SP, PUC/SP, ESPM, FAAP, Anhembi-Morumbi e SESC, e escreve sobre trilhas sonoras e sound design para sites e revistas.

Carga horária: 6 horas em data e local a ser determinado.

Aula expositiva com intensiva ilustração de trechos de filmes e músicas. Os participantes responderão testes durante o curso baseados nos conceitos expostos, gerando assim a avaliação final. O participante receberá um certificado de conclusão.

Máximo de 30 participantes.